8 de mar de 2010

Hoje o dia é NOSSO!

Queimamos sutiãs em praça pública, conquistamos a  Lei Maria da Penha e o direito de adentrar no mercado de trabalho e ocupar - cada vez mais - cargos que antes eram 100% masculinos. 

Acordamos cedo, fazemos o café, levamos as crianças para a escola, seguimos para o trabalho e no final do dia ainda encontramos pique para um jantar a dois, brincar com os filhos ou uma cervejinhas com as amigas (sim, nós também podemos!).

Conseguimos falar ao telefone, assistir TV, ler um livro e prestar atenção em tudo que está à nossa volta - sem perder a concentração em nenhuma dessas coisas.

Sabemos chorar copiosamente e com uma simples demonstração de carinho, sorrir feito criança - sem medo de parecer menos mulher por causa disso.

Carregamos dentro de nosso organismo, durante nove meses, outro ser humano e mesmo engordando 15 kgs, é a fase mais bonita de nossas vidas.

Aguentamos furo na orelha logo no primeiro dia de vida, depilação, cólicas menstruais, parto, machismo, violência, insensibilidade masculina e ainda temos que ouvir o péssimo clichê "sexo frágil"...

Sabemos o quanto somos importantes. Não somente para a humanidade, mas para nós mesmas. Nossa constante luta e nossas conquitas não são sempre visíveis. Não são mensais, anuais ou a cada dez anos. São diárias. E eternas.

FELIZ DIA DA MULHER!

"Não se nasce mulher: torna-se." 
 (Simone de Beauvoir)

9 comentários:

Lis. disse...

Parabéns
escarlates
pelo glorioso
evento deste dia!

Lis.

Flávia Escarlate disse...

Obrigada, Lis!:*

Lis. disse...

De nada Flávia! Pois, as vezes está além de nós avaliar o valor dos gestos -simples ou complexos-que apenas fazemos pelo mero prazer em si, in-condicional[mente].

E voltei para complementar, expondo a idiotice perninente as cobranças batendo todos os dias à nossa porta, exigindo (como disseste) esforço dobrado sem retorno compensatório adequado.

Enfim, cobrança sempre é caso sério, também pelo fato de nascermos debaixo delas, constituindo-se como um vício dificil de ser extinguido.

E complementando, lembrei-me de uma estória em que um Turco que sempre se gabou de nunca ter pago uma dívida na vida pegou um dinheiro emprestado de um Judeu conhecido por nunca ter perdido um centavo sequer em transação alguma.

A dívida venceu e o Turco ia se escondendo do Judeu, que vivia na sua captura. Até que um dia se cruzaram no bar de um Português e começaram uma discussão.

O Turco encurralado não encontrou outra saída, pegou um revólver encostou na sua cabeça e disse: - Abdula pode ir para o inferno, mas não paga esta dívida. E puxou o gatilho caindo morto no chão.

O Judeu não quis deixar por menos, pegou o revólver do chão, encostou na sua cabeça e disse: - Jacó vai receber esta dívida, nem que seja no inferno, e puxou o gatilho caindo morto no chão.

O Português que observava tudo assustado, pegou o revólver do chão, encostou na sua cabeça e disse: - Pois Manuel não perde esta briga por nada.

Vê? O poder que tem
o simples prazer
da cobrança?

Flávia Escarlate disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávia Escarlate disse...

Nossa, Lis! Me acabei de rir com essa estória (ou seria piada?!). Muito boa!

Lis. disse...

É, Flávia! Trata-se de uma piada, pois é bem visto que jamais poderemos ter tudo. Ter T-U-D-O só poderia ser alguma das muitas fantasias que tinhamos quando ainda eramos crianças.

Já estudei em sala mista no curso primário, e lembro que uma vez a professora explicava que ninguém consegue ter tudo na vida, quando uma coleguinha da classe interrompeu dizendo:

- Professora, meu pai tem tudo: TV, telescópio, DVD, Mercedes...

- A professora disse: - Mas será que tem uma lancha?

- Lancha ele não tem!

- Viu? Ninguém pode ter tudo!

Aí o Pedrinho interrompe:

- Professora, meu pai tem de tudo. TV, telescópio, DVD, Mercedes e uma lancha!

- Sim - responde a professora. - Mas será que tem um avião particular?

- Bem, não..

- Está vendo que não se pode ter tudo na vida!

Aí chegou a vez do Joãozinho:

- Professora, meu pai, agora tem tudo!

- Será? - diz a professora.

- Certeza! Sábado passado, quando minha irmã apresentou seu novo namorado, todo tatuado, piercing no nariz, bonezinho virado, cueca aparecendo, camisa de hip hop, desempregado, o meu pai disse:

- PQP! Era só o que me faltava!


Um dia ainda teremos um tanto de tudo.
Só não saberemos o quê, onde, e quando!!

Lu Vieira disse...

Apesar do atraso, parabéns pelo dia da mulher! Também ri da estória contada pela Lis. Creio que além de ser uma piada tem uma boa pitada de reflexão. Beijos escarlates!

Ana Carvalho disse...

porque a gente merece!

laislabonitta.blogspot.com/

jose r disse...

desculpa pelo atraso mas , parabens