1 de mar de 2010

CONCEITOS SEGUNDO OS DIFERENTES TIPOS DE CONHECIMENTO

.:: FELICIDADE ::.

Ao se tratar de assuntos humanos, o mais correto seria recorrer à Teoria da Relatividade. Afinal de contas...
Somos tão diferentes!

Diferentemente das ciências exatas, as sociológicas são repletas de pormenores, particularidades. Aprendemos a verbalizar sentimentos, numa tentativa desenfreada de compartilhá-los mais conscientemente.  Criamos, então, os CONCEITOS.



AMOR



TRISTEZA




PAIXÃO


RAIVA






Mas mesmo com essa tentativa de “classificar para universalizar”, alguns verbos permanecem específicos de determinadas culturas.

E mesmo com traduções semelhantes, os significados não são os mesmos.































Dentre todas essas variações (não apenas culturais), existem correntes de pensamento – que são ditadas por diferentes tipos conhecimento.


RELIGIOSO
  



POPULAR



FILOSÓFICO




CIENTÍFICO






FELICIDADE 
A grande busca.
Será?
Afinal de contas, o que é felicidade?!
Antes de responder essa pergunta, devemos nos perguntar: Baseado em que tipo de conhecimento? Grandes personagens da história da humanidade tentaram descrever a felicidade. Alguns representam, portanto, os conhecimento religioso, popular e filosófico.

MAHATMA GANDHI:
  • “A verdadeira felicidade é impossível sem a verdadeira saúde e a verdadeira saúde é impossível sem disciplina.”
  • “Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.”
ARISTÓTELES:
  • “A felicidade consiste em fazer o bem.”
  • “A nossa felicidade será naturalmente proporcional em relação à felicidade que fizermos para os outros.”
LEONARDO DA VINCI:  
  • “A felicidade está na atividade.”
SÓCRATES: 
  • “Tudo aquilo que diz respeito à alma quando submetido à razão, conduz à felicidade.”
BUDA: 
  • “Nem a riqueza, nem a beleza fazem a felicidade. Aquele que ama a Verdade e a Justiça, este sim, é feliz.”
VILLA-LOBOS: 
  • “Um povo que sabe cantar está a passo da felicidade.”
CHARLES CHAPLIN:  
  • “Nos últimos vinte anos conheci a felicidade. Quisera escrever sobre isso, porém, é de amor que falo e o amor está acima de tudo que se possa exprimir.  
HENRY FORD: 
  • “A lei natural é a lei de trabalho e só por meio de trabalho honesto há felicidade e prosperidade.”
AIRTON SENNA: 
  • “Preservo meus valores. Eles são o meu alicerce. Mexer no meu alicerce é um risco que não quero correr. Sou feliz assim.”
STUART MILL: 
  • “Aprendi a buscar a felicidade limitanto meus desejos, ao invés de satisfazê-los.”
ALMIR SATER: 
  • “Cada um de nós compõe a sua história. Cada um carrega em si o dom de ser capaz de ser feliz.”
JESUS CRISTO: 
  • “Felizes e benditos são aqueles que ama o Senhor de todo o coração, com toda a alma  com todas as forças e ao próximo como a si mesmo.”
ABRAHAM LINCOLN:  
  • “Quase sempre a maior ou menor felicidade depende do grau da decisão de ser feliz.”
ÉRICO VERÍSSIMO: 
  • “Felicidade é a certeza de que a vida não está passando inutilmente.”
ROUSSEAU: 
  • “A espécie de felicidade de que preciso não é tanto fazer o que quero, mas não fazer o que não quero.”
TALES DE MILETO: 
  • “A felicidade do corpo consiste na saúde, e a do espírito, na sabedoria.”
LUIZ BORGES: 
  • “Uma forma de felicidade é a leitura.”
TEILHARD DE CHARDIN: 
  • “Matéria, Vida e Energia: são as três colunas de minha visão e de minha felicidade interior.”
AUGUSTO COMTE: 
  • “Viver para os outros é não somente a lei do dever como da felicidade.”
PASCAL: 
  • “O prazer dos grandes homens consiste em poder tornar os outros mais felizes.”
DEMÓCRITO: 
  • “Quem faz o homem feliz não é o dinheiro e sim a retidão e a prudência.”
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE: 
  • “Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.”
MACHADO DE ASSIS: 
  • “Dinheiro não traz felicidade – para quem não sabe o que fazer com ele.”
SIGMUND FREUD: 
  • “A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz.”
ALLAN KARDEC: 
  • “A nossa felicidade será naturalmente proporcional em relação à felicidade que fizermos para os outros.”
FRIEDRICH NIETZSCHE: 
  • “Não é a força mas a constância dos bons resultados que conduz os homens à felicidade.”
MÁRIO QUINTANA:  
  • “Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.”
PAULO COELHO: 
  • “A felicidade às vezes é uma bênção, mas geralmente é uma conquista.”

Para representar o conhecimento CIENTÍFICO, fui em busca de algo que pudesse –  senão fechar uma tese – pelo menos, apresentar uma possibilidade.

Todos sabemos que o CÉREBRO é a máquina-chefe do nosso organismo. Se andamos, comemos, rimos ou choramos , é porque ele nos possibilita a tal.  E como toda máquina, ele precisa de um motor e combustível para funcionar. Pode-se dizer que esse motor são os neurônios e o combustível, os neurotransmissores.

NEUROTRANSMISSOR
Substância química produzida em uma célula do cérebro, o neurônio. É  capaz de conduzir e transmitir uma informação de um neurônio a outro, ou seja, é como um telefone para comunicação entre os neurônios. Essa comunicação se chama sinapse.

Os neurotransmissores são o combustível para o cérebro realizar determinadas funções.

Os clássicos são: acetilcolina, as catecolaminas (dopamina, adrenalina e noradrenalina) e, a artista principal, a serotonina.
SEROTONINA
Substância que implica em depressão,  felicidade, ansiedade e tranqüilidade e em outras diversas áreas do comportamento - como agressividade, raiva, irritabilidade.  Participa também de outras funções do organismo, como apetite, controle de temperatura, sono, náusea e vômitos, sexualidade e, é muito importante no sistema de dor.

Ela é sintetizada no cérebro e no tubo digestivo e armazenada em plaquetas e no sangue.  Muitos remédios são usados para repor a serotonina no cérebro, no combate a diversas doenças.
Ex: os antidepressivos.


A SUBSTÂNCIA DA FELICIDADE?
Importante ressaltar que para a ciência a serotonina não é a causa única e determinante da FELICIDADE. Ela apenas colabora para nosso organismo se sinta bem, em harmonia entre corpo e  mente.  
Porém, existem diversos  outros fatores que impedem essa determinação final. Estresse, distúrbios psicológicos, doenças – inclusive físicas – os próprios problemas cotidianos e a infindável inquietação dos seres humanos com a vida.
Portanto, torna-se praticamente impossível conceituar a tão aclamada FELICIDADE. Sabemos que a buscamos. Sabemos que  conceito existe, pois o criamos, o verbalizamos. Porém, ainda mas somos incapazes de descrever uma classificação final. Talvez porque esta não exista. Reportando-nos à  Eistein...

TUDO É RELATIVO.

6 comentários:

L.S. Alves disse...

Moça quase todas as frases tem um pouco de verdade, mas a miha preferida é do Gandhi.
“Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.”
Falou pouco e disse muito.
Um abraço e bom caminho.

Carol disse...

Eu sou feliiiiizzzzz!!!!!!!!
Demais!
www.princessprincy.blogspot.com

Ana Carvalho disse...

cada um de um jeito, cada sociedade, cada cultura, a diversidade cultural é uma coisa que eu acho muito linda.
Arrazou no post!
beijos

Claudiana disse...

Concordo com Drummond:“Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade”
Eu sou feliz aparentemente sem motivo, e sou muito, simplesmente. MAs acredito que felicidade atrela-se diretamente e indissociavelmente à PAZ. Será que alguém é feliz sem ter paz???
Responda aí minha amiga pensadora.
Saudade e beijinhos letrados

Sammyra Santana disse...

Depois de um longo e tenebroso inverno... VOLTEI!!!
Sabe, às veze spenso que essa nossa mania de conceituar sentimentos, vontades, desejos, trocas é que estraga tudo?
As vezes nos preocupamos tanto em saber "O QUE É" que esquecemos de sentir de verdade...
Beijo grande!

Dom Rafa disse...

Quase uma tese que vc expôs aí...
Quanta coisa...
Achei coincidência a citação do almir Sater; ha alguns minutos eu estava no carro ouvindo essa exata música (repetidas vezes) e pensando nessa exata frase!