30 de mar de 2010

Conte-me um conto.

A mulher perfeita

Nasrudin conversava com um amigo:

– Então, Mullah, nunca pensaste em casamento?

– Muito. – respondeu Nasrudin – Em minha juventude, resolvi conhecer a
mulher perfeita. Atravessei o deserto, estive em Damasco e conheci uma mulher espiritualizada e linda; mas ela não sabia nada das coisas do mundo. Continuei a viagem e fui a Isfahan; lá encontrei uma mulher que conhecia o reino da matéria e do espírito, mas não era bonita. Então resolvi ir até o Cairo, onde, finalmente, jantei na casa de uma moça bonita, religiosa e conhecedora da realidade material.

– E por que não casaste com ela?

– Ah, meu companheiro! Infelizmente ela também procurava um
homem perfeito.

Paulo Coelho - Contos do Alquimista




Independente do que dizem a respeito (não vou entrar nesse mérito), Paulo Coelho é importante pra mim, pois marcou minha adolescência. Foi por causa da coleção "Contos do Alquimista", lançada há mais de 10 anos por uma revista nacional famosa, que descobri  me dei conta da minha paixão pelas letras. Pensei em jornalismo na época, pois quem me enviava os livretos (a cada mês um volume novo) era o jornalista Sérgio Valinotto (amigo e ex da minha tia). Ele foi a primeira pessoa "estranha" a ler os livros que escrevia na época (bem novela mexicana, diga-se de passagem) e me incentivou bastante a continuar escrevendo. "Você não tem uma veia artística. Tem um cano!". Essas palavras nunca saíram de dentro de mim. Nem ele. Se foi sem saber a importância que teve em minha vida, em minhas escolhas. 


A coleção reúne historinhas curtas de várias religiões do mundo. Repletas de simbologias (adoro!) e lições, são ótimas para postar aqui - de vez em quando - no que apelidei de "Conte-me um conto". Vocês também podem me enviar contos como esses, em seus comentários. Será um prazer trocar figurinhas.
Gosto do conto "A mulher Perfeita", pois através de um simples e curto diálogo, nos faz entender o velho clichê "ninguém é perfeito". Isso vale para todos os tipos de relacionamentos. Não espere demais dos outros, quando você não pode alcançar as espectativas alheias... Em mim, ti, nele, nela: Onde ali falta, acolá sobra. E assim por diante.


9 comentários:

Sara disse...

Amiga Flávia as coincidências vão se repetindo incansavelmente, também li muito Paulo Coelho na adolescência por sugestão do meu irmão mais velho. Outro dia mesmo estava a procura deste mesmo tema postado aí em cima e até pensei em postá-lo na minha Essência, ainda bem que não o fiz, assim você contou este detalhe delicioso a seu respeito, e só posso concordar que sua veia artística é um fato, e contra fatos não há argumentos...beijinhos e até breve.

L.S. Alves disse...

A perfeição é chata e neurótica. Não é uma boa companhia.
Um abraço moça.

Flávia Escarlate disse...

É, Alves... Uma pena que algumas pessoas, além de acreditar, ainda a busquem. Também detesto perfeição! "Gosto de um modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão." (Clarice Lispector)

Dom Rafa disse...

PS: Agora que eu vi uma "maniçoba" na sua camisa! ^^

Dom Rafa disse...

Sabe o quê? Escrevi um conto. Talvez nem bem um conto. Talvez muito realista. Certamente diferente deste do seu post... Sem muita reflexão... Mais parece um relato. Enfim... Como não sei se vou "blogueá-lo" algum dia, escrevi com o único propósito de mandar pra vc, empolgado tão somente pelo titulo do seu post. Agora... Como eu faço?? Há algum email? Bjs!

Lis. disse...

Olá Flávia...

Acho que devo lhe pedir desculpas pelo fato de as vezes falar demais, brincar demais, sem medir exatamente a extensão de todos os meus atos em si. Quando vi sua postagem do tsunami, nossa!!! Passei batido... rsr

Agora nesta abordagem sobre perfeição, digo-te que nada tenho contra imperfeitos, pois cada um carrega consigo o livre arbitrio que Deus lhe dá, e ser imperfeito é também uma qualificação.

Entretanto, é possível ser uma pessoa perfeita, mesmo dentro deste vasto mundo tão conturbado que se apresenta diante de nós. Acho legal observar que o perfeito não tem defeito.

Eu acho que estamos presentes no mundo com a missão principal de evoluirmos como seres pensantes em busca da perfeição, pois caso contrário não teria sentido a afirmação contida no evangélio de Gênesis 1-26/27 "Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme nossa semelhança. Criou Deus, pois, o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou."

Como estava lhe expondo: Qualquer um que deseje ser perfeito basta primeiro localizar os seus defeitos e depois combate-los um à um. Não é nada impossível ser perfeito, basta apenas trabalhar com afinco desenraizando os defeitos. O problema maior é conviver depois com as pessoas normais. rsrs

Bom feriado e bom domingo de páscoa.

Bjo.

Raíssa Biolcati disse...

Acho que perfeito é aquilo que que é cheio de defeito, mas que a gente gosta tanto que parece não ter problema nenhum.
Ah, Maktub é excelente também. :)
Beijos!

Lu Vieira disse...

Nunca li um livro do Paulo Coelho. Gostei muito deste conto do autor. Penso que a gente perde muito tempo na busca da mulher ou do homem perfeito. O nosso tempo seria melhor aproveitado se todos os dias a gente aprendesse a reconhecer quais são os nossos defeitos e também as nossas qualidades. Defeitos existem para que nos sintamos desafiados a melhorar. Beijos!

alguém... disse...

Querida Flávia, gosto imenso desses pequenos textos de Paulo Coelho, há inclusivamente uma frase dele que eu adoro - "Nada é completamente errado no mundo, até um relógio quebrado consegue estar certo duas vezes no dia.". Textos maravilhosos como sempre. AQUELE BEIJINHO ESPECIAL E SEMPRE SINCERO.