14 de nov de 2012

Os homens e as pontes



Nunca tive tanta certeza de que as pessoas entram em nossas vidas por um motivo. Às vezes aparentemente bobo, como te fazer gostar de comida japonesa ou ensinar a mascar chiclete no avião para diminuir o incômodo da pressão causada pela altura. Mas, quase sempre, esse alguém nos traz missões importantes, que nos levam a novos caminhos e - consequentemente - a outras missões. 

Me desfazendo de qualquer clichê, comparo a vida a um jogo de videogame. Você passa por várias fases até chegar no chefão. A diferença é que no jogo só existe um chefão. Já na vida... É preciso saber identificá-los. 

Mas, voltando aos 'links humanos', ontem soube através de uma amiga que uma pessoa muito querida conseguiu uma proposta de emprego incrível através de alguém que eu apresentei. E detalhe: essas duas pessoas se odiaram no primeiro momento. Então se tornaram amigas e hoje uma delas vai embora para outro estado, deixando essa sementinha, a possibilidade de crescimento profissional.

Lembrei que uni duas pessoas que hoje estão casadas há uns 5 anos, com filho e tudo. Uma malhava na mesma academia que eu e da outra fui vizinha e amiga durante a adolescência. Hoje não tenho contato com mais ninguém.

E quanto aquelas pessoas que você conhece, de quem se torna grande amiga e, um belo dia, percebe que se tornaram mais próximas de um ex ou de outros amigos nossos do que um dia já foram de você? [Isso quando não namoram / casam]


Tudo isso me remeteu à teoria dos 6 graus de separação. Originado através de uma pesquisa norte americana, a teoria usou cartas para comprovar que precisamos de, no máximo, seis laços de amizade para que duas pessoas quaisquer estejam ligadas. Alguém recebia uma carta identificando a pessoa alvo e deveria enviar outra para outro alguém que tivesse a mínima chance de conhecê-la. Até que a mensagem chegasse à pessoa alvo e esta, por sua vez, enviasse uma última carta aos responsáveis pelo estudo.

A teoria dos 6 graus de separação é de 1967. Aí vocês me perguntam: e agora, na era das redes sociais? Bem... a resposta vocês conferem aqui. Mas adianto logo, pra quem tem a esperança de ter um rolo com a Madonna ou com o Jonny Depp, que um estudo da Universidade de Milão em parceria com o Facebook revelou que a distância caiu de 6 para 4,74 graus. :D



A vida é realmente IMPRESSIONANTE. E quanto a vocês? Quem tem uma história como essa pra contar? Compartilhem! :)

Um comentário:

L.S. Alves disse...

Não me lembro de uma história agora, mas adoro unir/apresentar pessoas. Acredito até que esta seja a minha grande qualidade. Identificar pessoas e necessidades e apresentá-las a pessoas e soluções. Gosto de pensar assim. Faz com que me sinta útil.
Um abraço moça e obrigado por compartilhar.