11 de fev de 2013

O poder do valor atribuído

Sabe quando você pensa que uma expressão é conhecida de todos e um dia, quando quer entender melhor sobre ela, joga no Google e... nada? Foi o que aconteceu comigo ao procurar sobre a "teoria do valor atribuído". Nem psicologia, filosofia, ou pelo menos uma revista de pseudo-ciência que falasse sobre o tema.

Como resoltado obtive apenas um dicionário online fajuto, um site de Direito (??? o.O) fora do ar e um de reclamações explicando sobre compra e estorno produto. Ou seja, nada a ver com o MEU conceito, que divido com vocês. [Pelo menos agora, quando alguém digitar a expressão no Google, verá o Escarlate como referência...rs]

Alguém lembra da história do menininho que mentia estar em apuros e um dia, quando ele realmente precisou de ajuda, ninguém acreditou nele? Os pais geralmente nos contam essas coisas pra nos ensinar a não mentir. Mas ninguém explica a importância do valor atribuído.

- Se alguém bebe muito e costuma faltar trabalho pra curar ressaca, no dia que precisar faltar por qualquer outro motivo, ninguém vai acreditar em dor de estômago ou queda de escada. Para o mundo, ele está de ressaca.

- Se o cara é feio, burro, pobre e sem graça, mas vive pegando mulher bonita, pode ser outro caso de valor atribuído.

Um perigo na era das redes sociais e da facilidade de espalhar notícias! Se você ainda não acredita no poder do valor atribuído, lembrem das mentiras que a mídia propaga... Neymar NÃO é bonito. Coca-Cola é um veneno e a Nike não tem fábrica e explora a mão de obra barata dos países de terceiro mundo pra depois só "ticar" os produtos que são vendidos com preços estratosféricos. 

Não é só do que você é que é feita sua imagem e sim de como lhe enxergam também. O mentiroso, o bebum, o bonzão. Não importa se você assume aquela postura ou se alguém um dia disse que era assim e se espalhou. Pronto. Agora você não tem mais escolha. 

Mas isso nada tem a ver com mentir sobre si. Apenas cuidado com o que propaga e na hora de alimentar posturas, opte pelas melhores. Afinal, ninguém é todo santo ou todo demônio. Tudo depende do ângulo pelo qual é visto.

Obs: devido à correria com a qual escrevi, aceito sugestão de imagens pra este post...rs



Um comentário:

Claudiana disse...

Queria comentar, mas teu texto tá tão redondinho que seria crime, na intenção de acrescentar algo, atribuir um valor à ele , =) Beijos, sua linda....e sumida