20 de ago de 2012

A ti.


“Ainda não tens nome, cor e nem sexo. Também não sei como é teu rostinho. Tua chegada não tem data marcada, mas é anunciada em sonho, com a mesma alegria que me faz acordar. Sei que um dia abrirei os olhos, durante a madrugada, pra te cuidar. Que eu serei tua paz e tu a minha. E que só tu me trarás a certeza do pra sempre. Não sei em que tempo virás e nem me apresso. Porque sei que em mim já habitas. Há muitos anos. Já és meu."

2 comentários:

L.S. Alves disse...

Parabéns moça.

Sara disse...

A maior de todas as verdades... Lindo!!!